O quê você procura em Campo Largo

Leitos voltados a pacientes com covid-19 poderão ser revertidos para outras doenças no ES – Folha Vitória

0
Foto: Divulgação

Em entrevista coletiva na tarde desta sexta-feira (24), o secretário de Saúde do Espírito Santo, Nésio Fernandes e o subsecretário em vigilância em saúde, Luiz Carlos Reblin, atualizaram algumas informações sobre o enfrentamento a covid-19 no Espírito Santo.

Segundo Nésio Fernandes, a taxa de ocupação de leitos em hospitais continua acima dos 70%, o que ainda não permite uma mudança destas unidades para atendimento de outras doenças. 

De acordo com o secretário, quando a ocupação baixar de 70% será possível fazer essa adequação. O primeiro hospital a ter leitos de covid-19 revertidos para atendimento de outros pacientes, com outras doenças, deverá ser o hospital Dório Silva, na Serra.

Além disso, segundo Nésio, novos dados serão acrescentados no Painel Covid-19, que divulga informações referentes ao número de mortes e casos confirmados em todas as cidades do Estado.

A previsão é de que a partir desta sexta-feira (24), sejam inseridos os dados da evolução da doença por semana epidemiológica e dados de mortes e casos confirmados, a média móvel de sete dias.

Situação ainda é de alerta

De acordo com Luiz Carlos Reblin, a pandemia ainda não dá sinais de que foi vencida. Principalmente no interior do Estado, onde existe o avanço do novo vírus. Segundo Reblin, ainda é preciso que tenha uma queda sustentada nas próximas semanas, para que mais atividades possam ser liberadas. Ainda não há previsão para liberação de eventos como shows em ambientes coletivos, por exemplo.

Inquérito Sorológico

Treze cidades do Estado vão participar da nova fase do Inquérito Sorológico que começa na próxima segunda-feira (27). Entre eles estão: Afonso Claudio, Serra, Vila Velha, Cachoeiro de Itapemirim, Alegre, Cariacica, Linhares, São Mateus, Nova Venécia, Santa Maria de Jetibá, Marataízes.

O subsecretário Reblin também informou que muitas cidades tem adquirido testes com a Sesa e podem realizar seus próprios inquéritos, para buscar informações do avanço da pandemia em suas regiões.

Retomada das aulas

Questionado sobre a possível volta das aulas presenciais nas escolas, Nésio Fernandes afirmou que é improvável que aconteça em agosto. Os dados do Inquérito Sorológico vão poder ajudar a tomada de decisões e planejamentos para uma retomada segura. O secretário também reforçou o pedido para que as instituições de ensino continue com os conteúdos online e à distância.

Cloroquina

Nésio Fernandes também ressaltou sua opinião sobre o uso de medicamentos a base de cloroquina em pacientes com coronavírus. O secretário afirma que, com base em estudos científicos, ele não recomenda o uso deste tipo de medicação “Não há estudos que apontam qualquer benefício”. Apesar disso, ele disse que respeita a decisão do Ministério da Saúde em recomendar o uso do remédio.

Grande Vitória segue em estabilidade de casos e mortes

De acordo com o subsecretário Reblin, a maior quantidade de casos e mortes agora está em cidades do interior do Estado, principalmente em Cachoeiro de Itapemirim, Linhares, Colatina e São Mateus. A Grande Vitória segue numa estabilidade de confirmações de casos e de óbitos, com tendência de queda.

Ainda segundo os dados divulgados nesta sexta, a maioria dos pacientes internados atualmente com coronavírus no Estado é do interior.

Taxa de transmissão da doença ainda é alta no interior

A média da taxa de transmissão da covid-19 no Estado, em geral, está um pouco abaixo de 1, oscilando de uma medição para outra, segundo Reblin. Porém, no interior do Estado, o alerta segue, pois a taxa está acima deste valor. 

Recursos federais

Nésio Fernandes afirmou que o governo federal tardou em habilitar leitos em operação no Estado. Além disso, o secretário fez uma crítica quanto ao valor gasto com as medidas de prevenção a pandemia. Segundo ele, a não execução ou execução inferior aos 40% do total de recursos disponíveis para o enfrentamento a covid liga um alerta, pois além da crise sanitária existe também a crise de receitas dos Estados e municípios. “A não execução da liberação mais célere prejudica ações mais ousadas e robustas de combate à pandemia e também colabora para o desequilíbrio econômico e fiscal dos Estados e municípios”, disse.

“Não é hora de fazer festa”

O secretário também reforçou o pedido para que a população continue em isolamento social e siga as recomendações sanitárias. “Fiquem em casa ainda. Não é hora de fazer festa, encontros, atividades sociais amplas. Nós estamos vencendo e venceremos se mantivermos as condutas que nos trouxeram até o presente momento, nessa importante posição de ser um dos estados com as melhores práticas de enfrentamento a pandemia”, afirmou Nésio.

Share.

About Author

Chama no Whatsapp!